janeiro 15, 2021

Introdução à iluminação

Uma rápida viagem no tempo nos leva aos primórdios do teatro ocidental, quando a linguagem cênica já criava significados e auxiliava na configuração espacial dos espetáculos. A iluminação natural era o maior recurso de luz até então, que foi evoluindo para o uso de vitrais, velas, lampiões… A produção de peças e eventos no geral passou a ser um terreno fértil para o desenvolvimento de tecnologias mais avançadas que dão suporte tanto à produção, artistas e palco, quanto à forma como a plateia recebe e responde aos estímulos visuais.

 

Se há séculos já era assim, imagine só hoje. A iluminação cênica é elemento indissociável das produções, sejam elas pequenas ou megalomaníacas. Ela revela formas e movimentos, desenha o espaço, provoca sentimentos, traz profundidade, volume, ilusionismos, afinal, nossa capacidade de enxergar está diretamente ligada à iluminação.

 

Os 4 encontros da oficina de Introdução à Iluminação foram um mergulho que ampliou nossa compreensão do que é luz, bem como revelou inúmeras maneiras como podemos manipulá-la a partir de usos alternativos de fontes luminosas. Quem guiou as aulas, trouxe exercícios práticos e compartilhou conteúdos de grande relevância foram os incríveis Jésus Lataliza, Marina Arthuzzi e Rodrigo Marçal, integrantes do Coletivo Prisma.

O primeiro movimento

 

Tanto do ponto de vista técnico, quanto do ponto de vista artístico, uma coisa é certa: o primeiro movimento que devemos fazer para trabalhar com luz é aguçar o nosso olhar. Como? Percebendo a luz de outras formas e treinar essa educação visual em situações cotidianas: ao caminhar pela rua, fazer uma chamada de vídeo, perceber o movimento de outras pessoas e, é claro, realizando várias experimentações com fontes de luz, materiais para intervenção, cores e direções. Apurar este olhar e a noção de que movimentos mínimos são capazes de gerar grandes mudanças é tão importante quanto saber lidar com os equipamentos, e impacta diretamente o resultado.

 

A luz revela e, consequentemente, esconde. Choca, cega, lambe. Cria signos visuais, atmosferas dramáticas ou outras configurações significantes na cena. Seja luz frontal, contra-luz, ribalta, à pino, com ou sem fumaça, a iluminação cênica está sempre nos dizendo algo, ao mesmo tempo em que conversa com todos os outros elementos: cenografia, figurinos, sonoplastia, maquiagem, dramaturgia, encenação, produção, logística.

 

A potência reside justamente em criar inúmeras possibilidades fazer com que todas essas linguagens conversem sem ruídos entre si. Deste diálogo multidisciplinar, surgem novas e surpreendentes dimensões.

 

Eletricidade, luz, ação!

 

Cada espetáculo apresenta desenho e composição muito específicos. É necessária uma série de procedimentos, como montagem, proposição e afinação de luz, antes de chegar no conceito de composição visual que será usado. Atualmente (e felizmente) existem diversos softwares de simulação de efeitos e visualização prévia das composições imagéticas que a luz concretiza ao interagir dinamicamente com espaços, materiais e corpos. Estes dispositivos são facilitadores tecnológicos com várias propriedades de manipulação de, por exemplo, angulação, intensidade, brilhos e cores podem ser testadas para estudos estéticos que vão formar a iluminação cênica. Assim, nos apropriamos de recursos técnicos para a resolução de questões estéticas.

 

Entender essas propriedades passa por, como já foi dito, aguçar o olhar e também por conceitos de eletricidade. Muita física envolvida, mas não se preocupe porque o Rodrigo Marçal tem um material super didático pra gente compreender melhor as noções de diferença de potencial (tensão), corrente elétrica e potência. Se liga:

 

Essas 3 grandezas aplicadas ao Teatro nos ajudam a tomar algumas decisões técnicas e a executar o projeto com segurança da iluminação.

 

E para iluminação feita em casa, em pequenas escalas, a Marina traz ótimas dicas:

Bônus

 

Esse vídeo para quem é adepto do Do It Yourself e já quer logo colocar a mão na massa traz um apanhado muito massa sobre várias ferramentas úteis:

 

And: o espetáculo Tragédia, que foi transmitido ao vivo pelo YouTube do grupo Quatroloscinco, teve sua iluminação desenvolvida pelo Prisma e é um ótimo objeto de estudo, com intervenções para o online. Confira!

 

Bom proveito e lembre-se: o domínio da luz passa diretamente pela frequência de suas práticas.